Di Cavalcanti e o Flautista – Jardim 1 A Tarde


A Arte é considerada uma forma de linguagem, de expressão, de comunicação indispensável na educação infantil seja na escola ou em casa. É de grande importância o contato da criança com o mundo das artes. A aquisição do conhecimento, o enriquecimento cultural, o desenvolvimento de sua personalidade como meio transformador e criativo, são alguns pontos positivos.

A arte é representada por meio da dança, da literatura, da arquitetura, da escultura, da música, como forma de representação artística no cinema e no teatro. A arte está em todo lugar e podemos observá-la a todo o momento. A criança também interpreta e observa o mundo em sua volta e ela deve interagir e ser estimulada ao belo, admirando as obras de artes, apreciando uma boa música ou lendo um bom livro. Assim, cabe  aos pais e aos professores a missão de estimular todo esse talento para que possam ser na vida adulta, agentes transformadores de cultura e educação.

Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo mais conhecido como Di Cavalcanti, foi um importante pintor, caricaturista e ilustrador brasileiro.  Seu estilo artístico é marcado pela influência do expressionismo, cubismo e dos muralistas mexicanos. Abordou temas tipicamente brasileiros como, por exemplo, o samba e o  cenário geográfico brasileiro como as praias. Em suas obras são comuns os temas sociais do Brasil (festas populares, operários, as favelas, protestos sociais, etc.)


Pensando na importância de Di Cavalcanti ao cenário brasileiro, trouxe para as crianças a obra: Flautista, 1968. Esta obra traz uma visão da importância da arte não estar ligada somente a pintura mas às outras expressões artísticas como a música, a dança,  a interpretação....


Após mostrar a obra aos alunos, propus à turma uma atividade experimental com a flauta, onde fosse possível conhecer o som produzido por ela, além de poderem tocar e explorar o objeto que foi usado na Obra de Di Cavalcanti.

Referencias:
Brincando com Arte: Di Cavalcanti/organização. Jefferson Galdino . São Paulo : Noonha América , 2003.

Professora Gabrielle














Nenhum comentário

Voltar para o Topo