A Formação dos hábitos saudáveis

    


Atualmente hábitos saudáveis estão em alta na mídia e na vida de todos nós. Diariamente somos bombardeados por informações no que se diz respeito à alimentação. Na teoria acabamos tendo um bom conhecimento. Mas e no que se diz respeito à parte prática? Será que executamos tudo aquilo que achamos importante para benefício de nossa saúde e de nossos filhos? A correria de todos os dias pede por praticidade! Sendo assim, cada vez mais escolas oferecem serviços de alimentação completos.

O profissional Nutricionista elabora cardápios visando adequar as necessidades nutricionais das crianças. No entanto surgem alguns questionamentos quando analisamos o consumo e alta rejeição de alguns grupos de alimentos, como o caso do grupo das Hortaliças. Pois de que adianta a elaboração de um cardápio equilibrado se a aceitação de determinados alimentos ricos em vitaminas e minerais for insuficiente? Exatamente por este motivo, a escola e os pais têm papel fundamental na criação de bons hábitos alimentares no público infantil, afinal nesta fase o devido equilíbrio nutricional é de suma importância para o bom desenvolvimento de nossos pequenos.

Sendo assim devemos agir em parceria escola e família, na descoberta e aceitação de novos sabores, sempre estimulando na mesa o consumo de todos os grupos! Vamos praticar? Então veja a seguir algumas dicas fáceis que podemos colocar em prática no nosso dia a dia...

1ª Dica: Família, vocês são o exemplo
Priorize o consumo de frutas verduras e legumes, afinal de nada adianta oferecer um alimento como este a uma criança, se nós mesmos torcemos o nariz pra eles! Lembrem-se, vocês são o espelho!

2ª Dica: Não desista
Todos nós temos o direito de não gostar de determinado alimento, mas para isto temos que experimentar! Quando houver recusa de alguma preparação não desista, espere uns dias e volte a oferecer o alimento em diferentes preparações por pelo menos mais 10 vezes!

3ª Dica: Não os obrigue a comer
Crianças também ficam sem apetite assim como nós... Se não estão com fome tudo bem, não os force, mas não substitua a refeição por guloseimas. Hora da refeição é hora da refeição!

4ª Dica: Comida não é moeda de troca
Frases deste tipo são bem comuns: - Filho se você comer toda a salada ganha o chocolate! Não devemos oferecer guloseimas, passeios e brinquedos em troca de uma alimentação saudável. Vamos pensar um pouco... Alguém já ouviu esta frase? : - Filho se você comer todo o chocolate você ganha um prato de salada! Exatamente, ninguém ouviu isso! E sabe por quê? Porque simplesmente estamos habituados a considerar alimentos saudáveis como frutas, verduras e legumes ruins. Então temos por impulso o ato de oferecer algo em troca. Quando você faz este tipo de oferta, seu filho pensa: - Se pra comer esta salada eu ganho um chocolate, a salada deve ser realmente ruim e o chocolate sim é bom! E assim acabamos estimulando o consumo de alimentos com calorias vazias.

5ª Dica: A participação
Sempre que possível permita que seu filho participe da preparação dos pratos, deixe-os misturar a salada, colocar o azeite, ou até mesmo ajudar a lavar! Isso vai instigar a curiosidade de experimentar algo que ele mesmo preparou.


Texto elaborado por: Keithe Allans Coutinho – Nutricionista do Instituto Infantil Cordeirinho, CRN3 39275/P.

Nenhum comentário

Voltar para o Topo